quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Morre, aos 81 anos, o padre João Batista Libânio

Vítima de um infarto, o padre jesuíta, João Batista Libânio, faleceu na manhã de hoje, 30, em Curitiba (PR). O sacerdote foi assessor da Conferência dos Religiosos do Brasil (CRB) e colaborador no Instituto Nacional de Pastoral e em comissões episcopais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
Padre Libânio, como era conhecido mundialmente, dedicou-se aos estudos teológicos, à ação pastoral e ao magistério durante anos. Foi autor de mais de 125 livros.
Na arquidiocese de Belo Horizonte (MG) contribuía com artigos e textos para o Jornal de Opinião e Notícias Digital, nos quais escrevia na coluna “O olhar do teólogo”. Padre Libânio dizia que “nada faz o ser humano ser tão feliz como colaborar no crescimento interior e espiritual das pessoas".
Trajetória
Padre Libânio estudou Filosofia na Faculdade de Filosofia de Nova Friburgo, no Rio de Janeiro, e  cursou Letras Neolatinas na Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio).
Foi professor de Teologia na Universidade do Vale do Rio dos Sinos, em São Leopoldo (RS) e no Instituto Teológico da Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-Minas). Posteriormente, foi professor da Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Seus estudos de Teologia Sistemática foram concluídos na Hochschule Sankt Georgen, em Frankfurt, Alemanha, onde também estudou com os maiores nomes da Teologia europeia. Era mestre e doutor (1968) em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma.
O jesuíta era professor na Faculdade Jesuíta de Filosofia e Teologia e vigário da paróquia Nossa Senhora de Lourdes, em Vespasiano.
Sobre a vida
Em entrevista ao Jornal de Opinião, em junho de 2002, por ocasião de seus 70 anos, padre Libanio falou sobre sua visão da vida: “A clareza e a serenidade não se medem pelo número de anos, mas pelo trabalho interior. A existência foi generosa comigo e permitiu-me que pudesse estar sempre à volta com análises, reflexões sobre a realidade social e eclesial”.
Fonte: Site CNBB

Papa Francisco nomeia novo bispo de Guarulhos (SP) e auxiliar para Salvador (BA)

O papa Francisco nomeou hoje, 29, o padre Estevam dos Santos Silva Filho como bispo auxiliar da arquidiocese de São Salvador (BA) (foto, à direita).  Atualmente, padre Estevam exerce as funções de pároco da paróquia Nossa Senhora da Candeias, em Vitória da Conquista (BA), e ecônomo na mesma arquidiocese.

O papa também realizou nesta data a transferência de dom Edmilson Amador Caetano (foto, à esquerda), até agora bispo de Barretos (SP), como novo bispo de Guarulhos (SP). Dom Edmilson é paulista, 53 anos, monge da Ordem Cisterciense (O.Cist). Seu lema episcopal recorda a graça divina que sustenta a missão: “Deus providenciará”.
Novo bispo
Padre Estevam tem 45 anos, natural de Vitória da Conquista. Nasceu no dia 10 de abril de 1968. Aos 20 anos, ingressou no Seminário Maior Nossa Senhora das Vitórias, onde cursou Filosofia. Em Belo Horizonte, estudou Teologia no Instituto Coração Eucarístico. Recebeu a ordenação presbiteral no dia 9 de julho de 1995. É bacharel em Teologia, com especialização em Comunicação para a Pastoral pela Pontifícia Universidade Javeriana, em Bogotá (Colômbia).
Desde 1995, exerce atividade como diretor espiritual no Seminário Maior da Arquidiocese de Vitória da Conquista. Foi pároco nas paróquias Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Iguaí, Senhor Bom Jesus e Santa Rita, em Planalto e Divino Espírito Santo, em Poções. Atuou como administrador da paróquia Nossa Senhora da Conceição, em Nova Canaã.
Trajetória na comunicação
O jovem padre Estevam tem uma caminhada nas atividades de comunicação na Igreja do Brasil. No período de 2000 a 2010 exerceu por três mandatos a função de vigário regional do Vicariato São Marcos na arquidiocese de Vitória da Conquista. Por dez anos, foi professor de comunicação no Instituto de Filosofia Nossa Senhora das Vitórias (1998-2008) e assessor eclesiástico da Pascom arquidiocesana.
Foi membro e secretário do Conselho Presbiteral e do Colégio de Consultores. Dedicou-se aos trabalhos com os jovens na função de assessor eclesiástico do Setor Juventude do Vicariato São Lucas. Também foi diretor arquidiocesano do Encontro de Casais com Cristo (ECC).
 Fonte: Site da CNBB

Papa nomeia dom Ilson como secretário do Colégio de Cardeais

O Vaticano informou, nesta terça-feira, 28, a nomeação feita pelo papa Francisco do bispo brasileiro, dom Ilson de Jesus Montanari, de 54 anos, como secretário do Colégio Cardinalício.
Atualmente, o Colégio Cardinalício é constituído por 199 cardeais: 107 eleitores e 92 com mais de 80 anos, sem direito de voto. Eles auxiliam o papa nas decisões mais importantes para a vida da Igreja e, havendo a necessidade, elegem um novo pontífice, em caso de morte ou renúncia.
Novo secretário
Natural de Sertãozinho (SP), dom Ilson é arcebispo titular de Capocilla, na Mauritânia, e ocupa o cargo de secretário da Congregação dos Bispos.
O novo secretário do Colégio Cardinalício é formado em Teologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Dom Ilson recebeu a ordenação presbiteral em 18 de agosto de 1989. Estudou Direito, Economia e Filosofia, em Ribeirão Preto (SP). Cursou Teologia na Universidade Gregoriana, em Roma.  Em 2008 começou a trabalhar na Congregação para os Bispos e, em 13 de maio 2011, foi nomeado capelão.
 Fonte: Site CNBB

Mensagem final do 2º Seminário sobre Formação Presbiteral

“Em nossa missão, sejamos perseverantes e não nos deixemos abater pelos desafios, pois Cristo é nossa vida e nosso guia, nossa esperança e nosso fim, nossa única referência”, afirmam os participantes do 2º Seminário Nacional sobre Formação Presbiteral, em mensagem final do encontro, ocorrido de 20 a 25 de janeiro, em Aparecida (SP). O evento, promovido pela Comissão Episcopal Pastoral para os Ministérios Ordenados e a Vida Consagrada e pela Organização de Seminários e Institutos Filosófico-Teológicos do Brasil (Osib), reuniu 232 pessoas, entre reitores de seminários, seminaristas, diretores de institutos, professores, psicólogos, padres, bispos, religiosos (as) que refletiram sobre o tema “Presbíteros segundo o coração de Jesus para o mundo de hoje” e lema “Corramos com perseverança com os olhos fixos em Jesus” (Hb 12, 1-2). Leia, na íntegra, a mensagem final do seminário.
MENSAGEM FINAL
DO II SEMINÁRIO NACIONAL SOBRE A FORMAÇÃO PRESBITERAL (20-25/01/2014)
“Presbíteros segundo o coração de Jesus, para o mundo de hoje”
“Corramos com perseverança com os olhos fixos em Jesus” (Hb 12, 1-2)
1. Nós, 232 participantes do II Seminário Nacional sobre a Formação Presbiteral, formadores, formandos e leigos comprometidos com a formação presbiteral em nossas Dioceses, nos reunimos aos pés de Nossa Senhora Aparecida, “Mãe do Evangelho vivente, manancial de alegria para os pequeninos” (Papa Francisco), neste momento eclesial característico, para em atitude de escuta, oração e diálogo, sondar indicações para que nossos Seminários se tornem sempre mais lugar de vida e vida plena (cf. Jo 10, 14).
2. A vocação ao ministério ordenado é dom e tarefa. Dom, pois, sua origem não está em nós mesmos. Ao início do nosso ser cristão, seminarista e presbítero, está o encontro com a Pessoa de Jesus e seu projeto: “Não fostes vós que me escolhestes, fui eu que vos escolhi” (Jo 15,16). E é tarefa, pois, cada um é convocado a fazer crescer e frutificar o dom recebido na comunhão do presbitério. A vida se fortalece em se doando (cf. Papa Francisco. Evangelii Gaudium, n. 10).
3. Com o coração pulsante, dispostos para “o bom combate da fé” (2Tm 4,7), queremos ter sempre os “olhos fixos em Jesus” (Hb 12,2). Apressamo-nos na corrida “do certame que nos é proposto” (Hb 12,1b), até o dia em que o Senhor, por sua graça e misericórdia, nos chamar para o convívio definitivo.
4. Reconhecemos as fragilidades, as dificuldades e os desafios nossos e de nossas instituições formativas. Isto nos conscientiza de que precisamos ainda melhor qualificar o processo formativo. Dispomo-nos, como formadores, a esse ministério por amor ao Senhor, à Igreja, a nossos presbitérios e ao nosso povo. Sabemos que o testemunho de pessoas apaixonadas pelo Crucificado-Ressuscitado é fundamental neste nosso serviço. “Ele é a fonte da nossa esperança, e não nos faltará a sua ajuda para a missão que nos foi confiada” (Papa Francisco. Evangelii Gaudium, n. 278).
5. O ministério ordenado, como participação no sacerdócio de Cristo, fiel à vontade do Pai, misericordioso e solidário, só pode ser compreendido à luz da fé. Para viver generosamente esse dom, precisamos cuidar do coração, tornando-o pleno de ardor e fervor, deixando de lado tudo que atrapalha à configuração com Jesus Cristo.
6. Em nossa missão, sejamos perseverantes e não nos deixemos abater pelos desafios, pois Cristo é nossa vida e nosso guia, nossa esperança e nosso fim, nossa única referência. Como discípulos-missionários, queremos lançar-nos na missão de proclamar a “boa nova da parte de Deus” (Cf. Mc 1, 38), na alegria da “loucura da Cruz” (1Cor 1,18).
7. Na arte de formar presbíteros segundo o coração de Jesus, somos exortados a sair de nossas comodidades e autorreferências e, sem medo, ir às periferias existenciais que marcam nosso tempo. Dispomo-nos à missionariedade característica dos discípulos daquele “que passou por entre nós fazendo o bem” (At 10,38), e que “fazia bem todas as coisas” (Mc 7,36).
8. Queremos ser como Jesus: homens de vigor espiritual, pobres e zelosos no exercício da caridade pastoral. Que a intimidade com a sua Palavra viva e eficaz e com a Eucaristia, ilumine e alimente nossa vocação e nosso ministério.
9. Agradecidos por este II Seminário, invocamos a intercessão de São Luiz Gonzaga e São João Maria Vianney, padroeiros dos seminaristas e dos padres, para que possamos sempre e de novo responder ao convite do Senhor – “Vem e segue-me” (Mt 19,21) – e permanecer no seu amor (cf. Jo 15,9).

Aparecida (SP), 25 de janeiro de 2014

sábado, 25 de janeiro de 2014

Carta de saudação de Dom Gilberto Pastana a todos os seus diocesanos


Pesquisa mostra que há mais de nove mil grupos de jovens da PJ no Brasil

Existem hoje, no país, 9. 183 grupos de jovens da Pastoral da Juventude, em 2.675 paróquias. Foi o que informou o assessor da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, padre Antônio Ramos do Prado, durante a Ampliada Nacional da Pastoral da Juventude (ANPJ), que acontece em Ribeirão das Neves, de 20 a 26 de janeiro.
Os dados, apresentados pelo assessor, são resultados de uma pesquisa realizada junto aos regionais e dioceses do Brasil, com o objetivo de fazer um diagnóstico da realidade da Pastoral da Juventude no Brasil.
A pesquisa constata, ainda, que das 2.675 paróquias, 1765 têm coordenação de PJ, mas 1641 não têm assessoria e acompanhamento.
No encontro, os jovens apontaram os desafios e avanços das dioceses e regionais com relação à Pastoral da Juventude e indicaram membros para a Comissão Nacional de Assessores, responsável por acompanhar as formações de assessores e jovens nos regionais.
A Pastoral da Juventude comemora os seus 40 anos. A Ampliada aborda o tema “Somos Igreja Jovem: 40 anos construindo a civilização do amor” e lema “Não podemos deixar de falar das coisas que vimos e ouvimos” (At 4, 20). Participam da ANPJ cem delegados de todos os regionais da CNBB, com a finalidade de avaliar a caminhada da PJ e definir diretrizes para a ação pastoral.
Fonte: Site CNBB

sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Cardeal Cláudio Hummes fala sobre a formação dos presbíteros

O presidente da Comissão Episcopal para a Amazônia da CNBB, cardeal Cláudio Hummes, foi o conferencista do terceiro dia do 2º Seminário sobre a Formação Presbiteral, que é realizado em Aparecida (SP).
Em sua fala, o cardeal recordou as palavras do papa Francisco dirigidas aos bispos brasileiros durante a JMJ Rio 2013 e também destacou a sua simplicidade como pastor da Igreja.  “Tudo isso são grandes interpelações para a formação de nossos seminaristas. O papa ensina a sermos pastores. Ensina com seu exemplo e sua palavra”, disse dom Cláudio.
Citando o discurso de Francisco, o cardeal lembrou que é preciso rever a formação dos padres. “O papa faz um apelo a nós quando disse que ‘se não formarmos ministros capazes de aquecer o coração das pessoas, de caminhar na noite com elas, de dialogar com as suas ilusões e desilusões, de recompor as suas desintegrações, o que poderemos esperar para o caminho presente e futuro?’’.
Igreja missionária
Sobre a escassez de padres, dom Cláudio observou que o crescimento dos sacerdotes não está acompanhando número dos católicos e da população. Para ele é necessário reformular a articulação pastoral no contexto atual de forma que a Igreja esteja mais próxima do povo, em estado permanente de missão.
O papa quer uma Igreja que saia “em busca dos desvalidos e dos mergulhados na miséria, na fome, no descaso, no abandono, na noite da desesperança seja material seja espiritual. Portanto, uma Igreja misericordiosa e missionária, uma Igreja próxima, capaz de aquecer os corações, como Jesus aqueceu os corações dos discípulos desesperançados de Emaús”, destacou dom Cláudio.
Ao final de sua fala, o cardeal deixou um questionamento para ser refletido pelos participantes do Seminário Nacional: “Como formar o seminarista para que não aspire a uma vida cômoda, tranquila, na futura casa paroquial, não busque o dinheiro, a boa comida, o luxo, não queira ter o melhor carro, não veja os parâmentos como enfeite do padre, mas como símbolo religioso e por isso evite paramentos esplendorosos, cheios de bijuterias, de brilhos, de rendas?”

quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

Caminhada Silenciosa!

Participe da Caminhada silenciosa à luz de velas por Justiça e Paz na sua 

comunidade, no próximo dia 02 de fevereiro, Festa da Apresentação do 

Senhor 

e dia de Nossa Senhora das Candeias e da Purificação. Participe deste gesto

 de solidariedade às vítimas da violência e de manifestação do nosso desejo

 de Paz. Organize a caminhada na sua comunidade/paróquia! 

Lançamento da Campanha da Fraternidade!

Dia 05 de Março - Quarta-feira
às 08h, no salão da Paróquia Santa Tereza D'Ávila

Campanha da Fraternidade

Diocese de Imperatriz
Campanha da Fraternidade

TEMA: FRATERNIDADE E TRÁFICO HUMANO
LEMA: "É PARA A LIBERDADE QUE CRISTO NOS LIBERTOU" (Gl 5,1)

Repasse:
26.01.2014 
Coquelândia - Equipe III Santa Inês
Vila Nova dos Martírios/São Pedro da Água Branca - Equipe I Menino Jesus
Cidelândia - Equípe II - Santa Tereza D'Ávila

02.02.2014
Itinga - Equipe I Menino Jesus
Açailândia - Equipe III Santa Inês
São Francisco do Brejão - Equipe II Santa Tereza D'Ávila

09.02.2014
Micro Cacau - Equipe II Santa Tereza D'Ávila
João Lisboa/Senador LaRoque - Equipe III Santa Inês
Buritirana/Amarante - Equipe I Menino Jesus

23.02.2014
Micro Centro - Equipe II Santa Tereza D'Ávila
Micro Norte - Equipe III Santa Inês  
Micro Leste - Equipe I Menino Jesus

Equipes Fixas:
Equipe I Menino Jesus - Eduardo, Nê, Marlene e Padre Naldo;
Equipe II Santa Tereza D'Ávila - Florismar, Conceição e Sales;
Equipe III Santa Inês - Padre Antonio José, Fernando e Osvaldo.
APOIO: Brígida (Açailândia)

Fonte: Blog da Diocese de Impeartriz

segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

Carta dos bispos do Maranhão a todo o povo de Deus

Religiosa que viveu no Brasil será beatificada em outubro

“Tudo o que acontece é bom, porque vem de Deus”, sempre dizia a religiosa Maria Assunta Caterina Marchetti, conhecida como madre Asssunta, que será beatificada em São Paulo, no dia 25 de outubro. Em carta oficial enviada, em 17 de dezembro de 2013,  à superiora geral das Missionárias de São Carlos Borromeo-Scalabrinianas, irmã Neusa de Fátima Mariano, o secretário de Estado do Vaticano, dom Angelo Becciu, comunicou oficialmente a aprovação da beatificação de Madre Assunta.
O secretário informou ainda que o papa permitiu que a celebração do rito de beatificação fosse realizada no Brasil. Francisco nomeou como seu representante e presidente da celebração, o prefeito da Congregação para a Causa dos Santos, cardeal Angelo Amato.
“Acolhemos esta notícia com grande alegria e júbilo, pois é uma graça para a Congregação das Irmãs Missionárias de São Carlos Borromeu-Scalabrinianas”, disse irmã Neusa. “Acreditamos que a beatificação será portadora de muitos frutos de santidade e de renovação espiritual para todos os membros do Instituto e ao mesmo tempo que é portadora de um novo vigor na vivência de nossa consagração religiosa no serviço aos migrantes”, acrescentou.
Ainda de acordo com a Superiora Geral, se pode dizer que, “na trajetória missionária, Madre Assunta deixou um legado profundo de autêntica fidelidade ao carisma Scalabriniano, ao mesmo tempo que permeia o nosso futuro de esperança. E convidou todos os fiéis a participarem deste momento importante para a Congregação e a Igreja. “É com esse espírito que queremos celebrar  este evento eclesial, para o qual convidamos todo o povo de Deus para que se una a nós e participem deste grande evento da Beatificação da Venerável Madre Assunta Marchetti, mãe dos órfãos, imigrantes e abandonados”, concluiu.
Madre Assunta
Natural de Lombrici di Camaiore, província de Lucca, Itália, Maria Assunta nasceu em 15 de agosto de 1871. Veio para o Brasil em outubro de 1895, a pedido do seu irmão, padre José Marchetti, missionário de São Carlos, ordem fundada em 1887 pelo bispo de Piacenza, João Batista Scalabrini, para cuidar dos órfãos filhos de imigrantes italianos e africanos que viviam em São Paulo.
Madre Assunta viveu no Brasil por mais de cinquenta anos. Faleceu em 1º de julho de 1948, no orfanato na Vila Prudente (SP), onde foram enterrados seus restos mortais.  A madre Assunta passou os últimos meses de sua vida em uma cadeira de rodas, mas sempre atenta em servir o próximo.
O milagre
Em 1994, Heráclides Teixeira Filho foi diagnosticado com morte cerebral, no Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre (RS). Após a família pedir a intercessão de Madre Assunta, o paciente recobrou os sentidos e ficou curado sem sequelas. No dia 19 de dezembro de 2011 aconteceu a promulgação do Decreto das Virtudes Heroicas de Madre Assunta Marchetti, reconhecidas pelo papa Bento XVI. O milagre atribuído à venerável Madre Assunta foi reconhecido no dia 09 de fevereiro de 2012 pela equipe de médicos da Congregação da Causa dos Santos do Vaticano.
Fonte: site CNBB

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014

Convivência dos Bispos do Regional NE5 na Diocese de Pinheiro











NOTA DO REGIONAL NORDESTE V


Ao Povo de Deus
e a todas as pessoas de boa vontade
 
“Justiça e paz se abraçarão” (Sl 85,11)
 
Ainda estão vivas em nós a forte emoção e dor, provocadas pelos últimos acontecimentos no Estado do Maranhão – a morte violenta da Ana Clara, criança de seis anos que faleceu após ter seu corpo queimado nos ataques a ônibus; os cruéis assassinatos no Complexo Penitenciário de Pedrinhas; o clima de terror e medo vivido na cidade de São Luís.
A nossa sociedade está se tornando cada vez mais violenta. É nosso parecer que essa violência é resultado de um modelo econômico-social que está sendo construído.
A agressão está presente na expulsão do homem do campo; na concentração das terras nas mãos de poucos; nos despejos em bairros pobres e periferias de nossas cidades; nos altos índices de trabalhadores que vivem em situações de exploração extrema, no trabalho escravo; no extermínio dos jovens; na auto-destruição pelas drogas; na prostituição e exploração sexual; no  desrespeito aos territórios de indígenas e quilombolas; no uso predatório da natureza.
Esta cultura da violência, aliada à morosidade da Justiça e à ausência de políticas públicas, resulta em cárceres cheios de jovens, em sua maioria negros e pobres. O nosso sistema prisional não reeduca estes jovens. Ao contrário, a penitenciária transformou-se em uma universidade do crime. Não nos devolve cidadãos recuperados, mas pessoas na sua maioria ainda mais frustradas que veem na vida do crime a única saída para o seu futuro.
 Vivemos num Estado que erradicou a febre aftosa do gado, mas que não é capaz de eliminar doenças tão antigas como a hanseníase, a tuberculose e a leishmaniose.
É verdade que a riqueza no Maranhão aumentou. Está, porém, acumulada em mãos de poucos, crescendo a desigualdade social. Os índices de desenvolvimento humano permanecem entre os mais baixos do Brasil.
Não é este o Estado que Deus quer. Não é este o Estado que nós queremos! Como discípulos missionários de Jesus, estamos comprometidos, junto a todas as pessoas de boa vontade, na construção de uma sociedade fraterna e solidária, sem desigualdades, sem exclusão e sem violência, onde a “justiça e a paz se abraçarão”(Sl 85,11 ) .
A cultura do amor e paz, que tanto almejamos, é um dom de Deus, mas é também tarefa nossa. Nós, bispos do Maranhão, convocamos aos fieis católicos e a todas as pessoas que buscam um mundo melhor a realizarem um gesto concreto no próximo dia 2 de fevereiro, como expressão do nosso compromisso com a justiça e a paz. Neste dia – Festa da Apresentação do Senhor, Luz do mundo, e de Nossa Senhora das Candeias –, pedimos que se realize em todas as comunidades uma caminhada silenciosa à luz de velas, por ocasião da celebração. Às pessoas comprometidas com esta causa e às que não puderem participar da celebração sugerimos que acendam uma vela em frente à sua residência, como sinal do seu empenho em favor da paz.
Invocando a proteção de Nossa Senhora, Rainha da Paz, rogamos que o Espírito nos oriente no sentido de assumirmos nossa responsabilidade social e política para construirmos uma sociedade de irmãs e irmãos que convivam na igualdade, na fraternidade e na paz.
 
Centro de Formação de Mangabeiras-Pinheiro - MA, 15 de janeiro de 2014
 
Dom Armando Martin Gutierrez
Dom Carlo Ellena
Dom Élio Rama
Dom Enemésio Lazzaris
Dom Franco Cuter
Dom Gilberto Pastana de Oliveira
Dom José Belisário da Silva
Dom José Soares Filho
Dom José Valdeci Santos Mendes
Dom Sebastião Bandeira Coêlho
Dom Sebastião Lima Duarte 
Dom Vilsom Basso
Dom Xavier Gilles de Maupeou d’Ableiges

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

Papa Francisco nomeia novo bispo para Bom Jesus de Gurgueia (PI)

O papa Francisco nomeou hoje, 15, o padre Marcos Antônio Tavoni como bispo da diocese de Bom Jesus de Gurgueia (PI), atualmente pároco da paróquia Cristo Redentor, em Taguatinga Norte (DF).
Padre Marcos nasceu na cidade de São Carlos (SP), em 21 de abril de 1967. É filho de Antônio e Dirce Tavoni. Quando criança, foi acólito na paróquia Santa Izabel da diocese de São Carlos, na qual também exerceu atividades como catequista. Também atuou como funcionário da área acadêmica da Escola de Engenharia da Universidade de São Paulo, por nove anos.
Ingressou no Seminário Diocesano de São Carlos em 1989 e cursou os dois primeiros anos de Filosofia. Mudou-se para Brasília (DF), para prosseguir com os estudos, concluindo a Filosofia e a Teologia no Seminário Maior Arquidiocesano. Recebeu espiritualidade e formação missionária no Seminário “Redemptoris Mater”, integrando a primeira turma.
Foi ordenado presbítero em 30 de novembro de 1996, pelo então cardeal, dom José Freire Falcão. O trabalho missionário é marca de sua trajetória sacerdotal. Quando seminarista participou de uma missão itinerante na Amazônia, nas capitais Belém, Manaus e Porto Velho.
Missão
Exerceu seu ministério, por muitos anos, como missionário na arquidiocese de Palmas (TO), na qual, desde 1997, desempenhou as funções de pároco, professor, ecônomo e reitor do Centro de Evangelização e do Seminário Interdiocesano. Dedicou-se à direção da Casa de Marta que desenvolve atividades de reintegração à sociedade de jovens adolescentes grávidas. Foi um dos primeiros professores da Escola Diaconal São Lourenço. Coordenou a Comissão que elaborou o primeiro Diretório de Iniciação Cristã.
Também atuou como secretário do Conselho Presbiteral por dois períodos e vigário episcopal da região São Pedro de 2007 a 2008. Na vacância da arquidiocese de Palmas, esteve como secretário do Colégio Consultivo, entre outras atividades no Conselho Ampliado de Pastoral e coordenador da Pastoral da Comunicação. Padre Marcos é um dos precursores do Caminho Neocatecumenal no estado do Tocantins.
Fonte: Site CNBB

domingo, 12 de janeiro de 2014

Papa criará 16 novos cardeais, entre eles dom Orani João Tempesta

O papa Francisco anunciou hoje, 12, após a oração do Angelus, que no próximo 22 de fevereiro presidirá o Consistório no qual criará 16 novos cardeais, entre eles o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta. No dia 23, haverá uma solene concelebração eucarística com os novos cardeais.

"Em minha indignidade tenho certeza que a graça de Deus não me faltará para poder bem servir a Igreja nessa dimensão universal que é a dimensão do cardinalato. Peço a todos que continuem rezando por mim para que possa continuar servindo à Deus, à Igreja, como tenho servido até hoje, mas agora com essa responsabilidade maior, que se une as que já desenvolvo", disse dom Orani em entrevista ao site da arquidiocese do Rio de Janeiro.
Currículo
Paulista de São José do Rio Pardo, dom Orani João Tempesta, nasceu no dia 23 de junho de 1950, filho de Achille Tempesta e de Maria Bárbara de Oliveira.
Religioso da Ordem Cisterciense, cursou Filosofia no Mosteiro de São Bento, em São Paulo (SP) e Teologia no Instituto de Teologia Pio XI, em São Paulo (SP).
Foi ordenado presbítero na sua cidade natal, em 7 de dezembro de 1974, na paróquia São Roque, onde foi vigário e pároco.
Em sua diocese de São João da Boa Vista (SP), exerceu vários ofícios em âmbito diocesano, como coordenador da Pastoral, da Comunicação e das Comunidades Eclesiais de Base (CEBs), professor do seminário e membro do Conselho de Presbíteros e do Colégio dos Consultores.
Em 26 de fevereiro de 1997 foi eleito bispo para a diocese de São José do Rio Preto (SP), governando-a por mais de 7 anos (01/05/1997 a 12/10/2004). Ao ser ordenado bispo em 25 de abril de 1997 pelo seu antecessor, dom José de Aquino Pereira, adotou o lema: “Que todos sejam um”.
De 1998 a 2003 foi o bispo responsável pelo Setor de Comunicação do Regional Sul 1 da CNBB (dioceses paulistas).
Desde 1998 faz parte, hoje presidente, do Conselho Superior do Instituto Brasileiro de Comunicação Cristã (Inbrac), mantenedor da RedeVida de Televisão.
Enquanto bispo de São José do Rio Preto, também exerceu os ofícios de administrador da Abadia Territorial de Clavaral - MG (22/5/1999 a 11/12/2002) e de visitador apostólico do Mosteiro de São Bento, em Olinda-PE (2001 e 2002).
Em 8 de maio de 2003 foi eleito presidente da Comissão Episcopal para a Cultura, Educação e Comunicação Social da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), depois reeleito por mais um mandato, ficando até 2011 e, por consequência, também na CNBB, membro do Conselho Episcopal Pastoral (Consep), do Conselho Permanente e do Conselho Econômico.
No Conselho Nacional de Comunicação Social do Senado Federal, foi representante da sociedade civil (2004 a 2007) e, desde o dia 8 de agosto de 2012, exerce a função de presidente do órgão.
Em 13 de outubro de 2004 foi eleito arcebispo metropolitano de Belém do Pará, permanecendo no oficio por mais de 4 anos (08/12/2004 a 26/02/2009).
Enquanto arcebispo de Belém, foi eleito delegado pela CNBB para a 5ª Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e Caribenho (Celam), realizado em Aparecida-SP (maio 2007).
Em 19 de novembro de 2008 recebeu o título de Doutor Honoris Causa pelo Centro Universitário São Camilo, dos Padres Camilianos, de São Paulo. Também foi vice-presidente do Regional Norte 2 da CNBB (Pará e Amapá).
Em 27 de fevereiro de 2009 foi eleito pelo papa Bento XVI como arcebispo metropolitano da arquidiocese de São Sebastião do Rio de Janeiro (RJ), tomando posse em 19 de abril do mesmo ano, até hoje.
Presidente do Instituto Brasileiro de Marketing Católico (IBMC) desde 2010, também exerce desde o dia 12 de maio de 2011 o oficio de presidente do Regional Leste 1 da CNBB (dioceses do Estado do Rio de Janeiro).
Como arcebispo do Rio, exerce ainda o ofício de presidente da Fundação Rádio Catedral, Grão-Chanceler da Pontifícia Universidade Católica (PUC-Rio) e presidente da Pastoral do Menor. Também foi o presidente do Comitê Organizador Local da Jornada Mundial da Juventude (JMJ Rio2013)
Fonte: CNBB/Arquidiocese Rio de Janeiro

Conclusão do Intereclesial das CEBs: Justiça e Profecia









Fonte: Blog da Diocese de Imperatriz

NOMES DOS NOVOS CARDEIAS NOMEADOS PELO PAPA FRANCISCO

A lista dos cardeais nomeados hoje pelo Papa Francisco

Com menos 80 anos, portanto, eleitores num conclave:

Dom Pietro Parolin, italiano, Secretário de Estado;

Dom Lorenzo Bardisseri, italiano, Secretário Geral do Sínodo dos Bispos;

Dom Gerhard Ludwig Muller, alemão, arcebispo emérito de Regensburg, Prefeito da Congregação para a Doutrina da Fé;

Dom Beniamino Stella, italiano, Prefeito da Congregação para o Clero;

Dom Vincent Nichols, arcebispo de Westminster, Inglaterra;

Dom Leopoldo Solorzano, arcebispo de Manágua, Nicarágua;

Dom Gérald Lacroix, arcebispo de Québec, Canadá;

Dom Jean–Pierre Kutwa, arcebispo de Abidjão, Costa do Marfim;

Dom Orani Tempesta, arcebispo do Rio de Janeiro, Brasil,

Dom Gualtiero Bassetti, arcebispo de Perugia, Itália;

Dom Mario Aurelio Poli, arcebispo de Buenos Aires, Artgentina;

Dom Andrew Yeom Soo Jung, arcebispo de Seul, Coreia;

Dom Ricardo Andrello, arcebispo de Santiago do Chile;

Dom Philippe Ouédraogo, arcebispo de Ouagadougou, Burkina Faso;

Dom Orlando Quevedo, arcebispo de Cotabato, Filipinas;

Dom Chibly Langlois, bispo de Les Cayes, Haiti.

E os não-eleitores, por serviços prestados:

Dom Loris Capovilla, de 98 anos, Prelado emérito de Loreto, que foi secretário pessoal do Papa João XXIII;

Dom Fernando Sebastian Aguillar, arcebispo emérito de Pamplora, Espanha;

Dom Kelvin Felix, arcebispo emérito de Castries, Jamaica.


Fonte: Direto da Sacristia 

quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

FOTOS DE ABERTURA DO 13° INTERECLESIAL

Noite de terça-feira 07 de janeiro de 2014

Igreja de São Francisco - Juazeiro do Norte
Diocese de Crato - Regional Nordeste I
Ceará / Brasil











Fonte: Blog da Diocese de Imperatriz

Bispo de Crato dá boas-vindas aos romeiros das CEBs

Centenas de romeiros de todo o Brasil e de países da África, Europa, Ásia e América Latina participaram da abertura do 13º Intereclesial, ocorrida ontem à noite, 7, em Juazeiro do Norte, diocese de Crato (CE).

Na ocasião, o bispo da diocese, dom Fernando Panico, saudou os romeiros. “Sejam todos bem-vindos à diocese de Crato e a Juazeiro do Norte. Em nome desta diocese de Crato que celebra o jubileu dos 100 anos de caminhada e em comunhão com a Igreja no Ceará, vos acolho com alegria, respeito, admiração e confiança”, disse dom Fernando.
O bispo falou ainda sobre o tema e o lema do encontro, respectivamente, Justiça e Profecia a serviço de todos e CEBs: romeiras do reino no campo e na cidade. “Somos romeiros e romeiras do Reino, comunidade de buscadores de Deus desejamos estar a serviço do Reino trilhando caminhos da justiça e de profecia na cidade e no campo. A terra dos romeiros vos acolhe com festa. Somo irmãos e irmãs, peregrinos da fé e a esperança de novos céus e nova terra”, afirmou.
Após a abertura, as delegações seguiram para os locais de acolhimento, ou seja, 24 paróquias nas cidades de Juazeiro do Norte, Crato, Barbalha, Caririaçu e Missão Velha.
Povos indígenas
Desde o dia 5 de janeiro, povos indígenas da Bahia (Pataxó e Pataxó Hã-Hã-Hãe), Alagoas (Xukuru-Kariri, Jeripankó), Paraíba (Potiguara), Mato Grosso (Xavante), Pernambuco (Pankararú), Rondônia (Kassupá, Wajoro), Tocantins (Xerente), Acre (Nakuni,Nawa), juntamente com os missionários do Conselho Indigenista Missionário (Cimi) encontram-se em Juazeiro do Norte para participar do 13º Intereclesial.
Nos dias que antecederam o evento, houve um encontro sobre a realidade, sonhos e desafios dos povos indígenas, com palestras e celebrações em preparação ao 13º Intereclesial, que prosseguirá até o dia 11 de janeiro. Informações: http://www.intereclesialcebs.org
Fonte: Site CNBB